Dicas Nutricionais

Glutamato Monossódico, um sabor perigoso!

Há bastante tempo, especialistas se dedicam a decifrar as diversas reações do glutamato monossódico no nosso organismo. Responsável por conferir o gosto umami (um dos cinco gostos básicos do paladar humano, ao lado do doce, salgado, ácido e amargo), o ingrediente já foi relacionado a doenças como enxaqueca, alergia e hipertensão arterial, entre outras.

glutamato monossódico

Mesmo encontrado em todas as proteínas animais e vegetais, este aditivo, no entanto, está distante de ser uma substância inofensiva para a saúde. Quimicamente falando, o GMS é aproximadamente composto de 78% de ácido glutâmico livre, 21% de sódio e até 1% de contaminantes. Ele realça o sabor dos alimentos e por isso é utilizado em grandes quantidades na fabricação de uma diversidade de comidas processadas e industrializadas, como fast-foods.

Quando se fala em glutamato monossódico, tratamos de uma substância que causa reações adversas como as alergias cutâneas, náuseas, vômitos, enxaquecas, asma, taquicardia, irregularidades cardíacas, tonturas e depressão. Mesmo não havendo nenhum estudo conclusivo sobre o assunto, o tema tem gerado uma grande repercussão até mesmo junto às agências reguladoras de saúde, que relatam reclamações de reações adversas ao consumo do glutamato monossódico,.

Estudos também revelam que o GMS age como um neurobloqueador do hipotálamo, a estrutura cerebral que tem a função de manter o equilíbrio das funções do corpo e que regula, entre outros processos metabólicos, o controle do apetite. Através desses estímulos, ele aumenta a necessidade de comida ingerida, diminuindo a saciedade e causando, como consequência, a obesidade em adultos e crianças, as grandes vítimas de alimentos processados e industrializados.

O glutamato monossódico pode também levar à liberação de acetilcolina, uma substância química estimulante da função muscular, além de inibidora da absorção de glicose por parte de células cerebrais. Como resultado, está relacionado à obesidade e à doença de Alzheimer, além de ser altamente tóxico para os neurônios. A utilização diária dos temperos artificiais e outros aditivos que servem para dar gosto e cor aos alimentos é um dos motivos para o aumento da incidência de “doenças silenciosas”. Os chamados caldos de galinha, ou de carne, são um perigo à saúde pública.

 

Dica Saudável para fugir do Glutamato Mossódico

Aprenda a utilizar condimentos, especiarias, ervas e comece desde já a deixar de lado este veneno industrial carregado de químicos que faz muito mal à sua saúde. Devido ao excesso de sódio, os temperos industrializados não devem fazer parte da rotina alimentar. O ideal são temperos frescos, como alho, cebola ou temperos sem sódio como o Mrs Dash, que virou uma febre por ser muito saboroso e ao mesmo tempo livre de carboidratos, gorduras e sódio.

Quais alimentos devo evitar?

  • Molhos e condimentos prontos, enlatados ou instantâneos;
  • Alimentos em conserva;
  • Salgadinhos industrializados;
  • Comida congelada;
  • Ketchup;
  • Realçadores de sabor;
  • Comidas prontas diet;
  • Sopas em pó ou enlatadas;
  • Caldos para carnes, aves e peixes;
  • Carnes e linguiças curadas e defumadas;
  • Temperos e especiarias prontos e industrializados;
  • Proteína vegetal hidrolisada.

 

banner demigod